Maricá/RJ,

“Meu objetivo aqui é criar uma política de Estado para a cultura” diz Marta Suplicy


Ao longo de uma hora de entrevista concedida à Folha, a ministra da Cultura, Marta Suplicy, se posicionou pela primeira vez sobre alguns de seus principais desafios à frente da pasta. [...] Ela afirmou que avalia a possibilidade de criar um órgão de fiscalização para o Ecad (escritório que arrecada e distribui direitos autorais) e de retirar da alçada da Fundação Biblioteca Nacional as políticas públicas de livro e leitura - mudança feita na gestão de sua antecessora, Ana de Hollanda. - Quais serão as prioridades de sua gestão? - Eu não tenho que marcar a minha gestão, mas sim, a do governo Dilma. Eu vim para a pasta com o objetivo de criar uma política de Estado. Entre as prioridades estão aprovar as novas leis de incentivo fiscal [ProCultura] e de direitos autorais [no Congresso], além de aumentar a inclusão social via cultura. [...] - O relatório da CPI do Ecad no Senado, concluída neste ano, propôs a criação de um órgão federal para fiscalizar a atuação da instituição que arrecada e distribui direitos autorais. A sua antecessora era contra essa fiscalização. Qual é sua posição? - Conversei com muitos setores da sociedade. A minha percepção é a de que o Ecad é um órgão que precisa existir e que tem uma autonomia que precisa ser preservada. 

Fonte: Folha de S. Paulo – Por Fernanda Mena e Matheus Magenta

0 comentários:

Visitantes Recentes

Comentários

Artigos Recentes

  © Template 'Traças do Bem' by Patrícia Custódio

Back to TOP