Maricá/RJ,

ESCRITOR JOÃO ALMINO É ELEITO PARA A ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS


Na eleição do último dia 08 de março, foi eleito o escritor João Almino, autor de 6 romances e vários ensaios literários.

Diplomata de carreira; natural do Rio Grande do Norte, da cidade de Mossoró; detentor de vários prêmios (inclusive o Prêmio Casa de Las Americas/2003); João Almino tem 66 anos e vai ocupar a Cadeira nº 22, anteriormente ocupada pelo acadêmico Ivo Pitanguy.

Seus livros já foram traduzidos para o inglês, francês, espanhol e italiano.



Read more...

COMO ESTIMULAR O HÁBITO DE LEITURA NAS CRIANÇAS.


Confira dicas do que você pode fazer para que LER seja uma atividade sempre prazerosa para o seu filho, desde cedo – inclusive nos tablets.

1. O primeiro – e principal – passo é dar o exemplo. Tenha livros em casa e, o mais importante: leia com (e para) a criança. “Pais leitores terão mais facilidade para criar o mesmo hábito nos filhos”, afirma Gislene Gambini, proprietária da livraria Novesete, em São Paulo.

2. Vá com as crianças a espaços culturais, como os Sescs, onde sempre há eventos relacionados ao universo literário, como contações ou peças de teatro adaptadas de livros.

3. Em bibliotecas e livrarias, em vez de deixar a meninada sozinha explorando as prateleiras, ajude a escolher as obras mais adequadas e leia as histórias. Aproveite a ocasião para ensinar que é preciso cuidar do livro – ou seja, que não vale rasgar, amassar ou rabiscar as páginas.

4. Em casa, deixe os livros em locais de fácil acesso para o seu filho. Para a bibliotecária Luciana Marques da Silva, que trabalha na Biblioteca de São Paulo, vale ter exemplares na caixa de brinquedos, na banheira e no berço (e não só na estante).

5. E ainda vale outra dica: não basta apenas deixar os livros à vista das crianças. “É preciso ‘fazer a ponte’, criar o interesse. O pai precisa ser o mediador nessa relação”, diz Paula Yurie, coordenadora educativa do Espaço de Leitura, no Parque da Água Branca, em São Paulo.

6. Leia para o seu filho na hora de dormir, mas crie também outros momentos de leitura no dia a dia: depois das refeições, na volta da escola.... Seu filho vai visitar o amigo? Coloque o livro preferido dele na mochila. E se no fim de semana vai receber os amigos dele em casa, incentive uma roda de leitura. A partir da história de um livro, pode surgir uma brincadeira.

7. Mesmo que seu filho ainda não saiba ler, deixe que ele conte o enredo à sua maneira. E lembre-se: crianças costumam pedir pela mesma história mais de uma vez.

8. Leia para seu filho desde bebê. Invista em livros de tecido, de plástico, cartonados, com texturas, pop-ups (os mais simples, não os muito elaborados) e deixe que ele “brinque” com as páginas. Assim, ele já se familiariza com o objeto.

9. “Tocar a tela de um tablet é como virar a página de um livro”, diz Christine Fontelles, diretora de educação do Ecofuturo. Ela acredita que o gosto pela leitura pode ser estimulado tanto a partir de uma plataforma impressa quanto de uma digital. Deixe que as crianças manipulem os apps, portanto, mas esteja por perto, conte aquela história para a criança (assim como faz com os livros).

10. Os livros digitais com recursos como sons e animações são mais atraentes. Mas, mesmo nos tablets, não deixe de procurar por obras com boas histórias e adequadas à idade do seu filho.

Read more...

UMA ARTE QUE CORRE PELO CORREIO


Joaquim Branco

A Arte Postal surgiu na década de 1960, nos Estados Unidos, mas só se tornou um movimento com repercussão internacional 10 anos depois, quando foi se formando uma rede através da qual poetas do mundo inteiro puderam se comunicar.

Consiste ela na criação de um cartão, que o poeta veicula pelos Correios, ao qual se agregam alguns elementos, tendo por base um texto curto e incisivo e uma imagem (desenhos, figuras etc.). Também podem fazer parte do conjunto os selos, carimbos e objetos facilmente incorporados a eles como barbantes, grampos, clips, panos, esparadrapos e todo material que possa contribuir para a comunicação a se criar. A esse conjunto cujo componente primordial é o próprio cartão se denomina Arte Postal ou Arte por Correspondência, ou ainda Arte-Correio, sobre a qual o crítico de artes Walter Zanini disse: “(...) pode ser considerada como um dos fenômenos mais agudos da vanguarda internacional...” 
Trata-se de uma forma de arte que circula basicamente de poeta para poeta, mas que alcança o grande público por meio de exposições e antologias e da própria manipulação que sofre o cartão até chegar ao seu destinatário. Outra característica importante é a dessacralização da autoria, pois os poetas, muitas vezes, se utilizam de obras chamadas clássicas ou de logotipos de empresas, fotos etc. e os incorporam naturalmente ao seu poema, numa crítica direta ao copyright e ao sistema.

Nos países do Terceiro Mundo, esta foi a resposta dos poetas, num dado momento cul-tural, às dificuldades criadas pela censura (notadamente na época das ditaduras sul-americanas), pelas editoras e pelos veículos tradicionais que até hoje não divulgam o produto de vanguarda. 
Impedido de atuar por todos esses fatores, o poeta lançou mão do cartão ‘fabricado’ por ele mesmo, adicionando-lhe carimbos, slogans, selos próprios e reproduzindo em xerox a maior parte de seus trabalhos. 

Era o artesanal unido ao prático e favorecendo a veiculaçào das mais variadas formas de vanguarda como a Pop-Art, Minimal-Art, Arte Povera, Poesia Visiva, Junk-Art, Arte Conceitual, Concretismo, Poema-Processo e outras. 

No Brasil, a arte postal foi o veículo mais adequado en¬contrado pelos movimentos denominados marginais na busca de sua internacionalização. Na Arte-Correio, é importante a soma de modificações que se processam na obra durante a remessa, isto é, “o ruído do meio usado integra a estrutura da obra ou mesmo torna-se a obra em si”, segundo o poeta uruguaio Clemente Padin. 
Contemporaneamente, a corrente de Arte Postal se reduziu, mas ainda resiste para marcar e tomar posições contrárias em relação a temas e eventos como prisões ilegais, demonstrações de racismo, pressões e dominações de uns países por outros, crimes de poluição ambiental e injustiças sociais de toda ordem.

Guardadas as proporções e certas características, essa forma de arte foi uma espécie de precursora da internet, a grande rede que hoje liga as pessoas mundialmente. Como sempre, os poetas captaram – com suas poderosas antenas – mecanismos, comportamentos e atitudes que, anos depois, iriam se tornar comuns não só a eles, mas a todas as pessoas.

Joaquim Branco: Poeta, crítico, professor de literatura e produção de textos e pesquisador; doutor em literatura comparada pela UERJ.

(Cataguases/MG)

(Crédito da imagem: Foto das publicações de Joaquim Branco)

Read more...

A Escritora e Griô Aprendiz Patrícia Custódio fala de racismo e da implementação das Leis 10.639/03 e 11.645/08 com Professoras, em Maricá.



A Escritora e Griô Aprendiz Patrícia Custódio, atual Presidente de CANTEIROS DE OBRAS – Centro de Cultura e Artes, Maricá/RJ, esteve presente no dia 06 de outubro de 2016, na Escola Municipal Joaquim Eugênio dos Santos, no Bairro Mumbuca, também em Maricá/RJ., a convite da Profª Fabiana, Coordenadora Pedagógica, para uma conversa com as professoras daquela Unidade de Ensino.
A reunião versou sobre temáticas que envolvem a implementação da Lei 10.639/03, Etnia, Raça, Racismo, Preconceito e seus conceitos, e outras questões paralelas dentro destes mesmos assuntos e emergentes em sala de aula.

Cerca de 30 profissionais trouxeram à tona algumas situações concretas vivenciadas no espaço escolar, como também, experiências pessoais, oriundas do contexto familiar, ou não.

Nas palavras da Direção da Escola e da Coordenação Pedagógica, o objetivo do encontro foi plenamente alcançado, com a troca de informações entre as profissionais que atuam naquela Unidade e a Escritora Patrícia Custódio.

Com base em sua experiência e pesquisas nestas Áreas, a Escritora Patrícia Custódio discorreu brilhantemente sobre as Legislações pertinentes; ressaltou a importância da inclusão – por definitivo – nos Projetos Pedagógicos das Escolas, de Ações colaborativas entre instituições, espaços e lideranças culturais, que também atuem proativamente nestas Áreas e que atentem para uma “Educação para a Diversidade”; apresentou algumas falas de importantes teóricos, filósofos, pedagogos e/ou militantes de movimentos negros, bastante atuantes no País; citou e relembrou nomes de importantes personalidades negras, no cenário cultural e histórico do Brasil; além de responder a várias indagações das professoras sobre suas diretivas na condução e solução de conflitos, no âmbito da Escola; e ainda, repassou sugestões de Leituras para as mesmas. 
As Leis nºs. 10.639/03 e 11.645/08 (em especial a 10.639/03), foram lidas durante a reunião, frente às exigências das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação e a Escritora e Griô Aprendiz Patrícia Custódio buscou evidenciar a importância de que as reuniões pedagógicas e os projetos sejam pensados para contribuir com o debate sobre a importância de se valorizar a história e a cultura afro-brasileira dentro da escola, e no sentido de ampliar a discussão que trata da diversidade cultural e étnico-racial que ajudaram a formar o País – justamente o escopo da Lei.
Patrícia Custódio, em sua fala procurou reafirmar o que os professores já conhecem: “que as questões
étnico-raciais e culturais devem ser tratadas com as crianças desde as primeiras séries do Ensino Regular, pois que a partir daí elas passam a considerar as diferenças como algo presente, mas que não deve levar à exclusão”.

As professoras, por sua vez, foram unânimes em afirmar as dificuldades em tratar destas questões a partir do momento em que extrapolam os muros da Escola, já que os estudantes, mormente as crianças, já trazem muitas de suas dificuldades com estas questões, desde o ambiente familiar.

A reunião encerrou em agradável clima de colaboração e estudos com as profissionais demonstrando ânimo para a formatação e execução de novos e enriquecidos projetos para o próximo ano letivo.

Read more...

BATE PAPO SOBRE RACISMO E PRECONCEITOS. LEGISLAÇÕES PERTINENTES E EDUCAÇÃO.



A escritora PATRÍCIA CUSTÓDIO, a convite da Coordenação Pedagógica da E.M. BOLÍVIA DE LIMA GAETHO reuniu-se no último dia 24 de agosto/2016 com cerca de 24 professoras para um primeiro bate papo sobre os temas tratados na Lei nº 10.639/03; sobre racismo, preconceitos e alguns outros temas correlatos. 

Conforme proposto pela Coordenadora Pedagógica daquela Unidade, a Profª LILIANA SANTIAGO, será realizado um evento, em 20 de novembro próximo, dentro das Comemorações pelo Dia de Zumbi dos Palmares. 

Por sugestão de PATRICIA CUSTÓDIO e em atendimento à Lei nº 10.639/03, será formatado um Projeto para o próximo ano letivo, que contemplará várias atividades sobre estas mesmas temáticas. As Professoras acharam uma excelente ideia e ficaram bastante animadas.

A escritora PATRÍCIA CUSTÓDIO é Graduada em Tecnologia em Processamento de Dados e Bacharel em Direito; além também, de sua trajetória pessoal como Produtora Cultural; Atriz; estudiosa das questões de Raça e Etnia; e de sua constante atuação na condição de Griot Aprendiz.

Presente, também, a escritora MARIA REGINA MOURA apresentou-se e informou sobre a instituição CANTEIROS DE OBRAS - Centro de Cultura e Artes - que ambas coordenam - além dos vários Projetos e Programas vinculados, na área da Cultura, executados e também supervisionados pelas duas escritoras. 

A primeira reunião, aconteceu das 10h às 11h30min e reuniu 09 (nove) professoras; a segunda, das 15h30min às 17h reuniu 14 professoras, que iniciaram o encontro trocando ideias e informações sobre suas experiências pessoais e/ou profissionais com o racismo e o preconceito.

Após o bate papo inicial, PATRICIA CUSTÓDIO citou as duas Leis importantes - no âmbito da Escola - para a realização das Ações que viessem a ser propostas pelo grupo e reforçou a necessidade do mais amplo conhecimento de todas as professoras presentes, dos dois instrumentos legais. Um, é a Lei nº 10.639/03; e o outro, a Lei nº 11.645/08. Neste caso, mais particularmente interessante e importante, visto a finalidade do encontro e dos futuros Projetos, a primeira.

Em seguida, PATRÍCIA CUSTÓDIO trouxe importantes contribuições e informes respaldados em elucidativos e modernos textos sobre estas temáticas, além, também, de suas vivências com Projetos semelhantes e suas experiências pessoais sobre estes assuntos.

Um dos Projetos de CANTEIROS DE OBRAS, coordenado por PATRÍCIA CUSTÓDIO e dentro do Programa institucional "UMA QUESTÃO DE RAIZ", foi o "SEMINÁRIO ETNICIDADE E EDUCAÇÃO", realizado no Galpão de Atividades de Canteiros de Obras, em outubro de 2011 e que contou com a participação da Profª Drª Conceição Evaristo e da Profª Mestra Fernanda Mulin - ambas autoridades nestas áreas.

Outra importante ferramenta para a divulgação das Leis citadas; para a publicação de textos e para discussão destes mesmos temas, é o Jornal Virtual Kilombo Cultural (pertencente a Canteiros de Obras), também criado e alimentado por PATRÍCIA CUSTÓDIO. Todos os textos publicados até agora podem ser resgatados nas "Postagens Mais Antigas", no pé da Página Principal. No Blog do Jornal Virtual Kilombo Cultural, podem ser encontradas também as duas leis citadas e ainda textos sobre os temas citados, para downloads. 

Considerando-se que a E.M. Bolívia de Lima Gaetho, contempla a Educação Infantil e o Ensino Fundamental, ou seja, com um alunado de pequeninos e/ou pequenos jovens estudantes, há que se pensar e programar Ações, Eventos e ou Atividades que sejam lúdicas e sedutoras, porém, que despertem sentimentos de Identidade, Pertencimento e Reconhecimento; além da transmissão de informes sobre a História da África e dos Africanos; com conteúdos referentes à História e Cultura Afro-Brasileira; incluindo as áreas de Educação Artística, como está previsto na Lei já citada.

A E.M. Bolívia de Lima Gaetho está situada na Estrada Senador Fernandes da Cunha, s/nº., no Rio do Ouro, em Niterói/RJ., e está atualmente, sob a competente Direção da Profª Jaqueline Ribeiro.

As escritoras PATRÍCIA CUSTÓDIO e MARIA REGINA MOURA são responsáveis, ainda, pelo PONTO DE LEITURA TRAÇAS DO BEM; pelo CINECLUBE PONTO & CINE CANTEIROS e pela CANTEIROS EDITORA, cujos endereços virtuais encontram-se abaixo. para visitação.

Nesta oportunidade estamos divulgando, também, os vídeos de alguns Projetos e/ou Ações desenvolvidas por Canteiros de Obras, para conhecimento.


Canteiros de Obras – Centro de Cultura e Artes

MARICÁ/RJ ENDEREÇOS VIRTUAIS/PÁGINAS/MÍDIAS/2016

Blogs

http://pontoecinecanteiros.blogspot.com (blog do Cineclube Ponto & Cine Canteiros)
http://tracasdobem.blogspot.com (blog do Ponto de Leitura Traças do Bem –Clube de Leitura)
http://kilombocultural.blogspot.com(blog do Jornal Kilombo Cultural)
http://canteiroseditora.blogspot.com (blog da Canteiros Editora)

VISITE PARTICIPE CADASTRE-SE SIGA

Vídeos - (Cursos/Oficinas/Outras atividades ou eventos):

http://youtube/0dp6rvJ3bRo  - Contadores de Histórias – I
http://youtube/w8kZeQ7MVj8 - Contadores de Histórias – II
http://youtube/Xn9KpTxhwi8 - Bienal do Livro/2011
http://www.youtube.com/watch?v=u2IFYGT3Sc4 - VI Festival Internacional de Poesia Palavra no Mundo - Oficina Formas e Cores
https://www.youtube.com/watch?v=z1GBvAyL2io - Poema Amar - Carlos Drummond de Andrade, por Patrícia Custódio

FACEBOOK 

CONTATOS

E-mail Maria Regina Moura -  m.rmoura@yahoo.com.br
E-mail Patrícia Custódio -    pa_custodio@yahoo.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/pa.custodio
Canteiros de Obras – Centro de Cultura e Artes: 

Sede: RJ. 106 = Km. 16 – Jardim Inoã – Rua 1 – Quadra 05 – Lote 56
Inoã - Maricá/RJ - CEP 24.941-525

(21) 99809 0121 – Maria Regina
(21) 98666 0370 – Patrícia Custódio

Crédito das fotos:
Maria Regina Moura
Liliana Santiago

Read more...

Visitantes Recentes

Comentários

Artigos Recentes

  © Template 'Traças do Bem' by Patrícia Custódio

Back to TOP